Edson Celulari

Edson Celulari nasceu em Bauru, interior de São Paulo, mas com 16 anos se mudou para a capital a fim de estudar teatro na Escola de Arte Dramática da Universidade de São Paulo.
 
Em 1978, Edson estreou na extinta TV Tupi na novela “Salário Mínimo”. No ano seguinte fez “Gaivotas”. Com o fim da Tupi, partiu para a TV Globo em 1980. Estreou em “Marina” e praticamente emendou uma novela atrás da outra.
 
Seu primeiro grande papel na TV foi Carlos, em “O Homem Proibido”, de 1982. Um dos atores prediletos de Silvio de Abreu, participou de diversas novelas do autor, entre elas: “Cambalacho” (1986) e “Sassaricando” (1987). Teve breve passagem pela TV Bandeirantes em 1988, quand fez a minissérie “Chapadão do Bugre”, mas voltou para a Globo no ano seguinte e interpretou um dos maiores papéis de sua carreira: o mosqueteiro Jean Pierre, de “Que Rei Sou Eu?”, novela humorística que satirizou o Brasil.
 
Saiu novamente da Globo em 90, dessa vez rumo ao SBT, onde gravou a novela “Brasileiros e Brasileiras”, que foi um fracasso de audiência. Em 1992, de novo na Globo, gravou a novela das sete “Deus nos Acuda” ao lado da atriz Cláudia Raia. Os dois se aproximaram e começaram a namorar. Casaram-se em 93 e têm dois filhos: Enzo e Sophia. Separaram-se em 2010.
 
Desde então Celulari não saiu mais da Globo e diminuiu um pouco o ritmo frenético de trabalho, embora não passe mais do que três anos sem aparecer na tela. Gravou, entre outras, “Fera Ferida”, “Torre de Babel”, “As Filhas da Mãe”, “Celebridade”, ”América” e “Araguaia”.
 
Além da TV, Celulari gravou nove filmes, com destaque para “Ópera do Malandro” e “For All – O Trampolim da Vitória”.. Já no teatro foram oito peças. A última foi o musical “Hairspray”, adaptado da Broadway e dirigido por Miguel Falabella, que ficou em cartaz em 2009 e 2010, em que interpreta uma mulher.